terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Coelho Neto "cumpre" requisitos legais e está "apto" a firmar convênios com Governo Estadual

16:12 0

O Tribunal de Contas do Estado confirmou em Avaliação Trimestral emitida nesta terça-feira (23), que o município de Coelho Neto “CUMPRE o Inc. II do § único do art. 48 da LRF e ao Inc. II do § 2º do art. 2º do Decreto nº 7185 de 27 de maio de 2010.”, o que o torna o Governo Municipal apto a firmar convênio com o Governo do Estado.

Um verdadeiro banho de água fria para aqueles que torciam contra a cidade, desejando que a Gestão Municipal não recebesse recursos para o carnaval.

Veja abaixo a certidão em favor do município de Coelho:



Desesperado e impopular, Roberto Rocha sae em defesa de Lula

07:34 0


O desespero no ninho tucano maranhense pela impopularidade do pré-candidato ao Governo do Maranhão, Roberto Rocha (PSDB), é tão evidente que o senador, para amenizar sua rejeição junto ao eleitorado local, passou a defender a candidatura do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT) à presidência.

Em postagem nas redes sociais, o senador Asa de Avião teve a desfaçatez de afirmar que sempre defendeu o petista. “A saída da crise exige legitimidade plena. O ex-presidente Lula, mais que candidato, é símbolo de corrente política. Sua presença na campanha de 2018 é exigência democrática”, escreveu.

O tucano tenta ganhar densidade eleitoral tirando proveito da alta popularidade do pestita no estado, afinal, tanto Lula quanto a ex-presidente Dilma Rousseff obtiveram no Maranhão maioria absoluta de voto nos últimos pleitos que disputaram.

Cabe lembrar, que em 2016, Roberto foi um dos senadores que votou pelo impeachment de Dilma para beneficiar o presidente Michel Temer (PMDB) e o PSDB, em troca, recebeu cargos na Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba.

Do Marrapá

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Maracap paga R$ 1800 reais em Prêmios em Coelho Neto

18:04 0
Vencedores recebem suas premiações das mãos dos
vendedores do Maracap

Na manhã de hoje, segunda-feira (22), o Maracap, através de sua unidade regional de Coelho Neto e Afonso Cunha, realizou a entrega de R$ 1800 reais em prêmios para dois sortudos em Coelho Neto. 

A entrega aconteceu em um dos pontos de vendas espalhados pela cidade, onde foi entregue uma premiação de R$ 800 e outra de R$ 1000. Lembrando, que no Maracap os prêmios são de até R$ 80 mil reais. 

Os sorteios você acompanha pela rádio Estrela do Munim, frequência FM 87,9 MHZ, através do site da rádio, radioestreladomunim.blogspot.pe ou ao vivo pelo Facebook do Maracap.

Gasolina sobe 19,5% em seis meses e já beira os R$ 5 em algumas cidades

12:00 0
Gasolina sobe 19,5% em seis meses e já beira os R$ 5 em algumas cidades

Nos últimos seis meses, o preço médio da gasolina subiu 19,5% nos postos de combustível e já se aproxima dos R$ 4,50. Em algumas cidades, está perto de romper a barreira dos R$ 5. O preço médio, sem descontar a inflação, é o maior já registrado na série histórica da Agência Nacional do Petróleo (ANP), que começou em 2001.

A gasolina mais cara do Brasil está na região Norte. Em Tefé, no Amazonas, o preço médio é de R$ 4,941 por litro. Em Alenquer, no Pará, chega a R$ 4,838. Para os paulistas, a gasolina mais cara é de Dracena (R$ 4,196) e a mais barata fica em São José dos Campos (R$ 3,863).

A escalada do preço está relacionada à nova política de ajustes da Petrobrás, em vigor desde julho de 2017, quando a estatal anunciou que as variações ocorreriam com mais frequência. Nesse período, os preços foram reajustados 133 vezes. A mudança foi feita para dar agilidade aos reajustes e acompanhar a volatilidade da taxa de câmbio e da cotação de petróleo. O barril ficou 28% mais caro nesse período.

Da Folha de São Paulo

Temer altera rotina por medo de 'efeito Sarney'

09:19 0
Temer altera rotina por medo de 'efeito Sarney'

Com reportagens e análises adversas para o governo desde maio do ano passado, quando a delação da JBS veio a público implicando-o diretamente, Temer diminuiu o tempo dedicado às notícias diárias e se aprofundou nas articulações para que não seja alvo do que auxiliares têm chamado de "efeito Sarney".

"Ninguém gosta de noticiário negativo, ainda mais quem foi vítima de 'fake news' ou de 'ilação news' para derrubá-lo. Não se pode ficar feliz com meses de uma exploração midiática dessa", diz Elsinho Mouco, marqueteiro do governo, referindo-se às denúncias apresentadas pela Procuradoria-Geral da República.

Os baixíssimos índices de popularidade e as poucas chances de aprovar sua principal bandeira, a reforma da Previdência, fizeram com que assessores passassem a temer que o presidente não tenha poder político suficiente para chegar ao fim do mandato com alguma influência eleitoral.

Ministros avaliam que, na ânsia de não ficar isolado na formação de uma aliança de centro, Temer tem feito movimentos erráticos e pode terminar como o ex-presidente José Sarney (1985-1990).

Alçado ao Planalto após a morte de Tancredo Neves, Sarney encontrou seu auge em 1986, com o Plano Cruzado. Após o fracasso das medidas, no entanto, terminou o governo com popularidade baixa, reações negativas do mercado e sem força política —nem mesmo o candidato de seu partido, Ulysses Guimarães, defendeu seu mandato.

Assessores de Temer querem evitar repetir o histórico.

Da Folha de São Paulo

Vem forte

08:44 0


A deputada federal e presidente estadual do PPS, Eliziane Gama, passou a semana inteira percorrendo o interior do Maranhão organizando e dando posse aos diretores municipais do partido.

Com o recesso na Câmara Federal, Gama aproveita o período para preparar o PPS para as eleições de outubro, quando pretende disputar uma vaga ao Senado. Ela esteve nos municípios de São Mateus e Barra do Corda, onde recebeu o apoio dos prefeitos Miltinho e Eric Costa, respectivamente, Colinas, Pastos Bons, Timon e Pindaré.

Além de fortalecer o seu projeto majoritário, a deputada ainda garante um partido forte, unido e representativo para enfileirar a aliança em busca da reeleição do governador Flávio Dino (PCdoB).

Campeã de votos e favorita nas pesquisas eleitorais a parlamentar mostra entusiasmo para conduzir a legenda e se firma com uma das principais lideranças nas discussões políticas.

Para completar, mostra afinidade com o governador, ao contrário dos concorrentes Waldir Maranhão (Avante) e Zé Reinaldo (sem partido) que se distanciam diariamente do comunista.

“O Maranhão definitivamente avança a passos largos, superando décadas de atraso social e político. Agradeço a Deus por participar deste momento ao lado do governador Flávio Dino, lutando, de verdade, pelos interesses do nosso povo em Brasília”.

Do Marrapá

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Prefeitos cobram R$ 2 bilhões prometidos pelo governo federal em 2017

12:13 0


Devido à falta de previsão orçamentária, o governo não liberou até agora os R$ 2 bilhões prometidos para dezembro a prefeitos de todo o país. O dinheiro foi usado como barganha pelo Planalto para negociar e pressionar deputados a votar a favor da reforma da previdência.

De acordo com a CNM (Confederação Nacional de Municípios), houve resistência da equipe econômica em liberar os recursos sem a indicação de contrapartida do lado das receitas.

Para sinalizar a intenção de cumprir a promessa, o Palácio do Planalto editou uma medida provisória no fim do ano passado autorizando a transferência aos municípios. Mas ainda será preciso enviar um projeto de lei ao Congresso para dizer qual será a origem dos R$ 2 bilhões.

Governo federal e prefeitos esperam que a situação esteja resolvida, no máximo, até o início de março. O Congresso retoma os trabalhos no começo de fevereiro. "O governo tem o compromisso de ajudar os municípios. Nesse sentido, fez um esforço para liberar em dezembro, mas esbarramos na ausência de previsão orçamentária. Para Marun, a crise com os prefeitos está "pacificada" e existe "compreensão" por parte deles.

Apesar de negar relação entre a liberação dos recursos e o apoio às mudanças na Previdência, o presidente da CNM (Confederação Nacional de Municípios), Paulo Ziulkoski, reconhece que pode haver uma mobilização contra a reforma.

"Foi quase uma rasteira que nos deram. Foi tudo confirmado e reconfirmado em audiência com o próprio presidente [Michel Temer]. A revolta é muito grande. Os prefeitos estão extremamente indignados. O ambiente está muito hostil em relação à União", disse Ziulkoski, que mantém discurso a favor da reforma.

“Se os parlamentares não nos acompanharem, vamos ter que tomar medida mais radical no processo eleitoral", disse o presidente da CNM, que pretende encontrar novamente Marun na semana que vem para saber a quantas anda o processo para liberar o dinheiro.

Parlamentares da base aliada dizem estar sendo pressionados pelos prefeitos.

"Eles estão aguardando que o governo cumpra o que foi acordado, o compromisso", afirmou o líder do PR na Câmara, José Rocha (BA).

Além dos R$ 2 bilhões prometidos para o ano passado, o governo Michel Temer se comprometeu, no fim de 2017, a repassar para os municípios outros R$ 3 bilhões, caso a reforma seja aprovada.

Os prefeitos não são a única fonte de pressão sobre o governo. Parlamentares têm cobrado a Temer que mexa nos cargos dos colegas que insistem em se posicionar contra a reforma, mas mantêm indicados nos quadros do governo.

Deputados aliados dizem que o número de votos na Câmara pela reforma está estacionado desde o ano passado e é insuficiente para aprovar o texto. O governo precisa de ao menos 308 votos para aprovar a reforma da Previdência na Câmara, em dois turnos. A previsão é que a votação aconteça logo após o Carnaval, em 19 de fevereiro.

Da Folha de São Paulo

A diferente indefinição dos pré-candidatos ao Senado do grupo Sarney

10:42 0


Enquanto no grupo de Flávio Dino vários nomes brigam para serem escolhidos como candidatos ao Senado do governador – o deputado federal Weverton Rocha já foi anunciado – no clã Sarney nenhum outro partido partido sequer reivindica a posição, já que o isolamento de Roseana e do MDB é cada vez mais evidente.

Apesar dessa conjuntura, as duas vagas do Senado na chapa sarneyzista estão muito longe de estarem definidas. Até as convenções que decidirão quem serão, de fato, os candidatos, a briga interna será pesada nos bastidores da oligarquia para definição dos dois nomes que vão disputar as vagas no Congresso Nacional.

Apesar de já ter lançado a pré-candidatura ao Senado, Sarney Filho pode ficar fora da disputa e ter que se contentar em brigar, mais uma vez, por uma vaga na Câmara Federal. Tudo vai depender da disposição de Roseana em concorrer ao governo. Nos bastidores, ela ainda não confirmou que disputará temendo uma grande grande derrota.

Se não sair candidata ao governo, Roseana tomará a vaga de Sarney Filho, já que será praticamente impossível eleger os dois irmãos ao Senado.

Outra indefinição do grupo é em relação ao nome de Edison Lobão. Fiel escudeiro de José Sarney, Lobão, assim como João Alberto, são vistos como nomes pesados devido já terem idade avançada e o desgaste acumulado durante o período extenso em que estão na política. Analistas e marqueteiros do clã Sarney avaliam que a chapa de Roseana precisa nesse momento de renovação para concorrer em pé de igualdade com Flávio Dino. Por isso pensam em rifar João Alberto da vice.

Grupo Sarney tenta seduzir o deputado estadual Eduardo Braide


E é aí que entra o nome de Eduardo Braide. Novo na política nas últimas eleições, o deputado estadual vem sendo cortejado há muito tempo pelo grupo Sarney. Apesar do forte assédio, nunca aceitou o convite da oligarquia, quer distância do seu nome atrelado a qualquer Sarney. Braide tem um futuro promissor pela frente e sabe que se não cometer erros de percusso, pode ser o próximo prefeito de São Luís. Se aceitasse se aliar a oligarquia, enterraria sua carreira política.

Apesar do isolamento, o grupo Sarney terá muitos problemas para montar a sua chapa majoritária. Ao invés do diálogo ser por composição partidária, como no caso do lado Governista, o confronto no clã Sarney será de egos. E dos cinco nomes postos a mesa, apenas dois poderão ser escolhidos.

Do John Cutrim

Projeto político de Felipe Camarão é pós-2018

09:14 0
Projeto político de Felipe Camarão é pós-2018


De acordo com informações de um blog da capital, o secretário estadual Felipe Camarão (Educação) vai se filiar ao DEM, mas, ao contrário do que tem sido ventilado por parte da imprensa maranhense, Camarão não disputará nenhum cargo nas eleições deste ano.

Uma nota do secretário deve ser lançada nas próximas horas para tratar do assunto.

Camarão já teria conversado com o governador Flávio Dino (PCdoB), e os dois teriam firmado um acordo visando a um projeto político pós-2018.

Felipe Camarão é um dos secretários mais bem avaliados do governo Dino.

Em vista desse desempenho, muitos viram uma possível candidatura a vice na chapa do governador, o que não deve se confirmar.

Do Informante

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Secretários de Estado virão a Coelho Neto na próxima semana

18:30 0

Na manhã de hoje, quinta-feira (18), durante sua fala na cerimônia de apresentação do planejamento e programação carnavalesca da cidade, o prefeito de Coelho Neto, Américo de Sousa (PT), anunciou que na próxima semana estará recepcionando na cidade uma comitiva de representantes do Governo do Estado. 

Américo disse esteve reunido com o governador Flávio Dino (PCdoB) recentemente, onde apresentou ao gestor estadual uma série de demandas do município. Logo, a visita da comitiva estadual na próxima semana será para anunciar um pacote de ações que o Governo do Estado estará realizando na cidade ao longo do ano nas áreas da Segurança Pública, Educação e Infraestrutura.

“Deverão vim a Coelho Neto na próxima semana alguns secretários de Estado, que anunciarão cada um ações do governo estadual em suas respectivas áreas. Serão ações que beneficiarão de forma significativa a população Coelhonetense, trazendo aquilo que temos mais urgência”, falou o prefeito de Coelho Neto. 

E assim o “Governo de Todos Nós ajuda a Construir a Cidade que Queremos”.

Comments system