sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

A chama coelhonetense

Segundo algumas culturas o fogo tem poder purificador. Quando se submete algo ao fogo, você está purificando aquele objeto. Talvez não seja por coincidência que nessa última semana de governo, Coelho Neto esteja vendo tanto fogo. Afinal 3 dias atrás foi fogo na entrada da cidade, servidores do município protestaram pelo pagamento de seus salários, hoje foram os “invasores” do Bonsucesso a tocar fogo na saída da cidade.

Barricada montada na saída da cidade para Duque Bacelar.

A reivindicação deles já foi dita nesse blog, querem uma divisão justa e igualitária dos lotes. Eles não se sentem atendidos pela prefeitura, e reclamam que não participaram das negociações. Apenas uma minoria esteve à frente das conversas, e que nada do discutido foi de forma aberta, transparente e inclusiva. Dizem que a distribuição da forma que foi feita, atendeu a interesses diversos, que não os deles, apontam inclusive um série de pessoas beneficiadas que não tem relação alguma com aquela ocupação.

Motoristas aguardam para passar.

Segundo eles, a situação ficou preocupante, porque depois que a prefeitura distribuiu aqueles "papeis" no teatro, muitas pessoas foram até a ocupação saber onde estavam seus lotes. O que já configura a maldade, tendo em vista que os lotes deveriam ter sido distribuídos apenas a quem estava lá. Se aquelas pessoas não sabem onde está seu lote, fica evidente que ela não participou em momento algum da ocupação. O que é um injustiça, tendo em vista que diversos participantes não foram contemplas na distribuição da prefeitura.


Exemplo de alguém que recebeu papel no teatro. Mas desconhece o local. 

E o risco de conflito cresce ainda mais. Olhem a imagem acima, leiam o relato. Se a pessoa que escreveu isso tivesse de fato participado da ocupação, ela saberia onde fica seu lota. Não precisaria perguntar para ninguém. O sinal de alerta acendeu no momento que algumas pessoas, que receberam os "papeis" no teatro, estão reivindicando lotes que estão ocupados desde o princípio da invasão.

Agora alguém me explique como foi isso, uma pessoa que está desde o começo da ocupação não recebeu lote algum, não recebeu "papel" nenhum. Agora tem quem não passou uma noite sequer, quem não enfiou uma estaca no chão, quem não tem um dia de sol naquela invasão, recebeu direito de lote na ocupação!

Policia em conversas com manifestantes.
É melhor que o Ministério Público Estadual (MPE), e a justiça intervenham logo nesse caso. Essa é uma situação muito crítica, uma bomba relógio prestes a explodir. Se nada for feito agora, capaz de correr sangue ali.   
           


Comments system