sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

A Hipocrisia do prefeito

Repasse referente a janeiro e fevereiro 
“Quando Flavio Dino deixa de mandar dinheiro para Coelho Neto, não é a mim que ele prejudica, mas, sim o povo da cidade”. Essas foram palavras se tornaram um mantra do Soliney (PMDB), nos últimos 2 anos de governo dele. Sempre que perguntado a respeito da cidade não ter mais tantas obras, ou do governo dele está paralisado, ou da falta de materiais e ações do município, Soliney respondia com essas palavras.  

Repasse referente a março e abril

Mas em 2016 do município de Coelho Neto, recebeu a quantia de R$ 93.247.481,60 (noventa e três milhões, duzentos e quarenta e sete mil, quatrocentos e oitenta e um reais e sessenta centavos). Valor esse referente ao que o governo Soliney (PMDB), recebeu do governo Federal e Estadual de repasses obrigatórios durante o ano de 2016. Esse são repasses que a Constituição Federal manda a União e os Estados compartilharem com os municípios. O número fica ainda maior, se somarmos a ele o que entra no munícipio através de convênios, com isso o número ultrapassaria facilmente a casa dos R$ 110 milhões de reais.

Repasse referente a maio e junho

Mas vamos a incompatibilidade, esse ano Soliney teve a sua disposição um orçamento municipal de R$ 124 milhões de reais para gastar, poderia fazer qualquer ação durante esse ano, como vimos dinheiro para isso teve. E não tem motivo algum para pagar servidor atrasado, ou não pagar.
Agora o maior absurdo, é a diferença no discurso. Soliney diz que Flavio Dino (PC do), prejudica a população quando não envia recursos para a cidade. O Soliney prejudica a quem quanto retira dinheiro da cidade? O orçamento que Soliney enviou para análise da câmara, diz que para 2017, o município só terá à disposição R$ 100 milhões de reais. Com isso Soliney tranca nos cofres R$ 24 milhões de reais no cofre da prefeitura. Dinheiro que ninguém poderá tocar durante todo ano de 2017, mas que esteve à disposição dele esse ano.

Repasse referente a julho e agosto

Foi a essa maldade que os vereadores disseram não na última segunda-feira, foi contra isso que os vereadores votaram. Foi para impedir essa injustiça que vereadores se voltaram contra Soliney. Vai por isso ele, Soliney, está tão magoado. Tão acostumado a ouvir “sim senhor” de quem o cerca, Soliney passou a desconhecer o não quando escuta.
  
Repasse referente a setembro e outubro


Repasse referente a novembro e dezembro




    

Comments system