segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

PC do B protagonista

A declaração do presidente nacional do PT, Rui Falcão, de que o partido não tem plano B e Lula é o candidato da legenda para 2018. Provocou uma reação imediata dentro do PC do B. Cansados de serem liderados, a legenda comunista entende que esse é o momento de liderar.

A análise feita pelos comunistas é de que união com os petistas rendeu bons frutos até o ano de 2010, mas foi só, durante a gestão Dilma (PT) a legenda da foice e do martelo viveu um verdadeiro inferno astral. Viu sua bancada na câmara, que era composta por 15 deputados encolher para 10 e ainda perdeu uma vaga no Senado, que era ocupada por Inácio Arruda (PC do B - CE). Sem falar dos diversos cargos que perderam no executivo nacional, sendo algumas secretarias do Ministério da Cultura, a Embracine e a direção da Agência Nacional do Petróleo (ANP). Ficou com só com o Esporte e a Embratur.

Quando se fala em aliança regionais, o PC do B entende que também foi prejudicado. Já em de 2012 o PT negou apoio a Manuela D’Ávila quando esta disputou a prefeitura de Porto Alegre.

E temos no Maranhão o caso mais emblemático de todos, quando em 2014 a executiva nacional petista interferiu para garantir apoio do PT ao candidato Lobão Filho (PMDB), preterindo assim o então candidato e vencedor, Flávio Dino.


Por esses motivos, em reunião no último domingo, 04 de dezembro, a direção comunista entendeu que é hora serem protagonistas, e que esse seria o momento seria ideal para uma renovação, e dar novo rosto a esquerda, logo o partido deve ter candidato próprio ao palácio do Planalto, e nomes como o ex-ministro Aldo Rebelo, o governador Flávio Dino, e as deputadas federais Jandira Feghali e Luciana Santos são os cotados para a disputa presidencial em 2018.

O que realmente irá acontecer é muito cedo para dizer, mas a mesa já foi posta e os primeiro movimentos do xadrez 2018 já foram dados.

Comments system