terça-feira, 17 de janeiro de 2017

A balela do Soliney


Já era início da madrugada quando blogs ligado ao ex-prefeito Soliney Silva (PMDB), publicaram matéria onde informavam a entrega de farta documentação ao ministério público. Segundo esses blogs tais documentos se referem aos restos a pagar de servidores concursados, contratados e prestadores de serviço da gestão passada.  

Segundo esses blogs, com o dinheiro em conta os pagamentos só não aconteceram por falta de expediente bancário nos últimos dias do ano.

Segundo esses mesmos blogs, cópia da documentação foi feita também na prefeitura. Mas é curioso que se preocuparam em fazer registro fotográfico apenas no Ministério Público, na prefeitura não. 

Imagem do oficio com protocolo de recebimento
Publicaram também imagens de um oficio onde se vê um carimbo de protocolo, mas o carimbo não menciona que órgão recebeu esses documentos. E mais curioso é que apenas um protocolos de entrega é divulgado, se os tais documentos foram entregues em dois lugares diferentes, deveriam haver dois protocolos de recebimento. Cadê o outro?

Mas até onde foi possível me informar, tais documentos não chegaram na prefeitura. Pelo menos não até ontem (16).   

Parece até piada, mas não é! Eles ousam zombar da inteligência da população.

Vejam só, todas as transações bancarias da prefeitura de Coelho Neto na gestão Soliney eram informatizadas. Isso significa dizer que o banco não precisava estar funcionando para que a prefeitura realizasse uma transação financeira. Basta que alguém gere ordem bancaria, através de sistema informatizado instalado em computador da prefeitura para que o pagamento seja realizado. E assim era feito durante todo governo passado.

Documentos impressos em papel A4 Simples
sem qualquer timbre oficial ou autenticação bancaria
A prova disso está na cidade vizinha de Afonso Cunha. O banco que atende Afonso Cunha é o mesmo banco que atende Coelho Neto, e lá em Afonso Cunha você não vê professores reclamando que não receberam seus salários. Isso porque todos foram devidamente pagos no dia 30 de dezembro, e olha que não havia expediente bancário em Coelho Neto.

Então porque o Banco do Brasil no dia 30 de dezembro pagou os servidores de Afonso Cunha, mas não pagou os servidores de Coelho Neto? Por acaso os servidores de lá são melhores que os daqui?

Documentos impressos em papel A4 Simples
sem qualquer timbre oficial ou autenticação bancaria
E outro fato que merece destaque, quem esteve na Sessão Solene na Câmara Municipal ontem (16), deve ter ouvido o que foi dito pelo presidente da casa, vereador Osmar Aguiar (PT). Em sua fala o presidente falou que o ex-prefeito deixou atrasado os salários dos servidores do FUNDEB 40, concursados e contratados, mas que hoje o atual prefeito não pode dizer que se pode pagar ou não esses salários porque não existe uma informação sequer sobre quem recebeu ou não recebeu seus salários. Não tem um documento, não tem um computador com essas informações. Ele também falou que foi convidado a ir na prefeitura no primeiro dia útil de governo junto com alguns vereadores, onde eles puderam constatar a ausência total de informações.

Documentos impressos em papel A4 Simples
sem qualquer timbre oficial ou autenticação bancaria
Outra informação que tenho, essa já de bastidores. É que não faltam apenas informações acerca de quem recebeu ou não recebeu, falta é a lista de servidores tanto concursados como contratados que tem vencimentos a receber. Na pratica isso significa que a folha de pagamento inteira do mês de dezembro sumiu. A prefeitura hoje não sabe quem são os funcionários com direito a pagamento.

Documentos impressos em papel A4 Simples
sem qualquer timbre oficial ou autenticação bancaria
A situação piora ainda mais para os contratados. Porque eles não receberem sequer cópia do contrato de trabalho que assinaram com a prefeitura, alguns chegam a dizer que nunca nem assinaram contrato algum. Simplesmente começaram a trabalhar, e o dinheiro simplesmente começou a cair na conta. 

Juridicamente os contratados não tem como comprovar seu vínculo com a prefeitura, nem sequer contracheque eles estavam recebendo, receberam por algum tempo, mas depois parou.

Documentos impressos em papel A4 Simples
sem qualquer timbre oficial ou autenticação bancaria
Agora resta esperar que essa documentação realmente chegue na prefeitura, para que a Procuradoria Municipal possa estuda-la, e quem sabe, se tudo que estiver nesses documentos for comprovadamente verdadeiro, os servidores possam receber seus salários.

Mas a pergunta que não quer calar, porque apenas hoje, 15 dias depois é que Soliney resolve se manifestar, e apenas agora apresentar esses supostos documentos, porque não o fez antes? Aliás porque ele não deixou esses supostos documentos na prefeitura, para o atual prefeito? Ele não precisava ter levado esses supostos documentos pra casa não, só bastava ter deixado na prefeitura, de onde eles nunca deveriam ter saído!    

Comments system