domingo, 1 de janeiro de 2017

Osmar presidente

Terminada a solenidade de posse no teatro municipal, todos os empossados se dirigiram a câmara de vereadores para a eleição da mesa diretora.

Vereadores Ricardo Chaves e Marcos Tourinho na
Condução da mesa. 
Quando cheguei lá converso que fiquei surpreso, a casa já se encontrava repleta de gente, todos querendo saber quem seria o comandante da casa no biênio 2017-2018. Apesar de muitos darem como certo que Osmar Aguiar (PT), seria o presidente da casa, os populares questionavam se Américo teria conseguido fazer uma maioria, e se essa maioria estaria com fechada em torno do Osmar. 

Novamente aqui o vereador Ricardo Chaves (PPS), foi chamado para presidir a mesa, e o vereador Ricardo Tourinho (PDT), convidado para secretariar a sessão. A respeito do processo eleitoral, Ricardo anunciou que apenas uma chapa havia se inscrito para a disputa. 

Com isso ficava claro que não haveria disputa alguma, Soliney (PMDB), estava completamente derrotado. A tal ponto que não conseguiu convencer ninguém
a se contrapor ao Américo. Mas faltava o golpe final! 

Marcos Tourinho fez a leitura dos componentes inscritos na chapa. Osmar Aguiar candidato a presidente, sendo Reginaldo Jansen 1º vice-presidente, e Ricardo Chaves 2º vice-presidente. A 1ª secretaria coube ao Junior Santos, e a 2ª secretaria ao João Paulo. Passada a leitura os vereadores foram chamados a votar, e logo após contagem dos votos. 

Vereadores eleitos para mesa diretora prestam juramento. 
Terminada a conferência, a chapa foi confirmada pelo edis, por 11 votos favoráveis. Assim Osmar Aguiar foi proclamado presidente do poder legislativo. Então os membro da chapa foram chamados a frente para prestar juramento. 

Passada essa etapa , foi dado a oportunidade dos vereadores se revezarem no microfone para fazerem seus discursos, momento em que também o prefeito Américo, e o vice-prefeito António Pires fizeram uso da palavra. 

Quero aqui destacar parte do discurso da vereadora Camila (PROS), que ao falar pediu ao agora presidente Osmar que removesse aquele vidro que separa os vereadores do povo. Afinal não pode haver barreiras entre o representante e o representado. 

E teve também o vereador Rafael Cruz, que em meio ao seu agradecimento fez referência ao ex-prefeito Soliney (PMDB), que ao ter o nome citado foi alvo de vaias, vaias bem sonoras. O evidência a alta rejeição que os ex-prefeito tem na cidade. 




Comments system