segunda-feira, 6 de março de 2017

O grito da incoerência

Palavra foi riscada do dicionário dos oposicionistas

Já faz alguns dias que a dita oposição de Coelho Neto vem babujando sobre a licitação para fornecimento de Combustível para o Município. O motivo dos bodejos ainda não ficaram claros, as vozes oposicionistas não formam o discurso coerente, e falam sem qualquer tipo de propriedade sobre o assunto.

O  que se sabe até o momento é que a Licitação foi Publica como determina a Lei, teve publicidade tanto no Diário Oficial da União, como em Jornais de Grande Circulação do Estado, e duas empresas da cidade foram a prefeitura, manifestaram interesse, e pegaram cópias do edital. 


No governo Soliney foram gastos mais de R$ 7 milhões com combustível no posto Sant'Ana 

Porém aconteceu que no dia da entrega dos envelopes com ofertas, conforme previsto no Edital, e dos lances orais, apenas o representante do Posto Portugal apareceu, o representante da outra empresa que manifestou interesse, e pegou o edital simplesmente não compareceu. Ele estava ciente, tudo ocorreu conforme o previsto, mas o representante abdicou de participar, simples assim. 

Agora lhes pergunto, do que estão reclamando os ditos oposição? A licitação foi aberta, clara e transparente, tanto que blogues oposicionistas tiveram e têm acesso aos editais, e até os divulgam e a própria oposição também tem acesso aos editais. O processo licitatório vem obedecendo todos os trâmites legais, e nessa licitação dos combustíveis em específico, a Administração Municipal vai economizar com algo em torno de R$ 4 milhões de reais, se compararmos com a última Licitação realizada pela gestão anterior.

Na licitação realizada pelo governo Américo de Sousa (PT)
será gasto pouco mais de R$ 4 milhões com combustíveis
Será que a reclamação deles é por causa dessa economia? Será que eles não pensam que esse dinheiro pode, e provavelmente, será revestido em outras áreas como Saúde ou Educação? 

Será que essa birra todinha é porque o posto do ex-prefeito deixou de ser o fornecedor? E o interesse da população, e a saúde financeira da cidade, não conta? 

Essa oposição está do lado de quem afinal, do povo ou dos seus próprios interesses? 

Comments system