segunda-feira, 10 de abril de 2017

Desemprego: Alegações do Grupo João Santos para desligamento dos colaboradores e encerramento das atividades

Segundo maiores informações que acabo de conseguir, a reunião que ocorreu na manhã foi hoje (10) foi comandada por Jairo Souza, um dos diretores do Grupo João Santos em Coelho Neto. 


Jairo teria dito que conversou na tarde de ontem (09) com José Santos, um dos proprietários e administrador do Grupo João Santos, e que o senhor José Santos teria optado pelo encerramento das atividades das empresas Itapagé e Agrimex pela falta de compradores para sua matéria prima, ainda segundo Jairo outro motivo do encerramento das atividades seria a demora nas negociações do Grupo com Governo Estadual, onde o grupo João Santos espera que o Governo do Maranhão faça uma renúncia fiscal dos impostos que a empresa deveria pagar ao Estado, Jairo ainda apontou que o Imposto sobre Circulação de Mercadorias (ICMS) cobrado no Maranhão é um dos mais altos do País. 

Sobre a falta de Clientes Jairo destacou que devido à greve realizada ano passado pelos sindicatos a empresa perdeu poder de venda, e capacidade de entregar nos prazos a matéria vendida, com isso contratos foram perdidos. Quando os Sindicatos encerraram a greve, e os funcionários voltaram às atividades, as empresa não conseguiu recuperar esses clientes, que passaram a ver a empresa com desconfiança. Sobre a renúncia fiscal, Jairo disse que o deputado Rafael Leitoa (PDT) tem atuado em São Luís no sentido de promover o diálogo com o Governo Estadual, e tem se mostrado bastante sensível a causa da empresa, e que há o diálogo com o Governo Estadual, mas as conversas não andam a contento. 


Por tudo isso o senhor José Santos optou por encerrar as atividades dessas duas empresa, Itapagé e Agrimex, e rescindindo assim o contrato de grande parte dos colaboradores, mantendo apenas os vigilantes e fiscais de campos. 

Comments system