quinta-feira, 20 de abril de 2017

Por que não dão também as notícias boas?

Editorial: 

Ontem (19) pela tarde um episódio singular ocorreu em grupo de WhatsApp, um dos integrantes do grupo escreveu o seguinte: "Aguardando os blogueiros aqui, inclusive o barba, pra divulgarem uma matéria sobre a limpeza do conjunto Duartão, com direito a capina e tudo mais". Mais do que palavras, isso foi uma provocação, digo até que uma reflexão. 

Vivemos tempos estranhos, onde um grupo tem a cada dia que passa se especializado em "bater", e não contentes em apenas bater fazem também a especulação, e por especularem quero dizer que estão induzindo pessoas ao erro. Mas eles têm um argumento, dizem eles que o hoje prefeito passou a vida toda fazendo isso, alguns deles até apelam dizendo que se trata da "lei do retorno". Então na falta de argumento eles apelam, e apelando mostram que não há discurso, apenas magoa, ressentimento, rancor, e diria que até ódio. 

São meninos birrentos que choram quando perdem o brinquedo, já viram uma criança quando a mãe toma um brinquedo? Ela chora, esperneia, ameaça até bater na mãe. Lembram do vídeo que alguns anos atrás viralizou, uma criança simplesmente destruiu uma sala de aula quando uma professora a colocou de castigo. Algo extremamente bizarro, horrendo, algo em que parte da mídia de Coelho Neto tem se especializado, e tudo por pura birra. 

Temos hoje aqui não sete anões, mas quatro deles. Temos o ressentido, temos o rancoroso, temos o preguiçoso, e o invejoso. O ressentido é aquele que chora até hoje por não ter sido chamado por fazer parte do governo; o rancoroso definha pela cidade, destilando em suas postagens mágoa e rancor; o preguiçoso é pior, fica em casa apenas esperando cair do céu alguma denúncia, pq ele mesmo é incapaz de denunciar e atrás do que está errado; e o ciumento é aquele que demonstra o ciúmes por outros terem sucesso onde ele fracassou.  

Quando se vai em alguns lugares é incrível a quantidade de pessoas que questionam como os 4 se especializaram nos últimos dias em anunciar coisas ruins, até o final do ano passado era tudo azul, para alguns deles só foi azul até a eleição, porque depois ficaram vermelhos rapidinho, mas por pouco tempo, e logo ficaram azul novamente. Mas o couro é geral: "porque eles só dão notícias ruins?"  

E quando o governo faz, como vem fazendo, dizem o governo não tem feito mais que a obrigação, será mesmo? Quando o governo desapropriou terras para ampliação, reestruturação e reativação do Ivan Ruy, era mais que obrigação? Quando o governo recebeu uma ambulância nova fruto de parceira com Governo do Estado, era apenas obrigação? Quando o governo conseguiu a destinação emendas do deputado federal Zé Carlos (PT) na casa dos dois milhões para a saúde era apenas obrigação? Quando o governo conseguiu o recapeamento da MA-034 era obrigação? Quando o governo conseguiu  recapeamento da parte urbana da MA-034 era obrigação? Enfim, tudo isso é obrigação, o que não seria então? 

Mas vocês não viram essas 4 anões noticiando nada disso, pelo contrário, eles até criticaram, mas nunca reconheceram que o governo tem méritos, nunca abriram a boca para falar de reconhecimento. Não que o governo seja perfeito em tudo, mas porque o governo tem seus méritos, como também tem seus erros. 

Mas há nesses anões o cinismo, a vontade de ver nesse governo a materialização do mal, de tornar essa gestão um porto dá incompetência. Uma ânsia de más notícias que termina por sufocar a própria população. São cínicos e apenas isso.  

Essa tropa de anões está tão desejosa do fracasso do governo, torce tanto pra isso, deseja tanto isso que esquece do papel principal do blog ou do jornalista. Esquecem de perseguir a verdade, de ir atrás dos fatos, de transmitir na íntegra a realidade. Esses anões tem uma neurose louca pelo fracasso, e querem transmitir isso a população a qualquer custo sem verificar os fatos.  

O Governo tem seus erros? Sim, os tem. Mas quem não? Esses erros precisam ser noticiados, sim, precisam. Mas quantas vezes alguém viu esse erro ser noticiado com a versão do governo, com a versão de um secretário? Quantas vezes alguém viu nesses blog ao final de suas postagens a seguinte frase: "contudo conversamos com o secretário da pasta". Quantas vezes alguém viu alguns dos anões dizer que já conversou com um membro do governo antes de levar ao ar uma crítica ou denúncia sobre a Secretaria em questão? Os anões precisam recordar que como imprensa, que como mídia não nos cabe fazer juízo de valor, que isso não é correto no cumprimento do dever. Pelo menos não quando se trata de trabalhar seriamente. 

Contudo reconheço a importância de ser oposição, de ser midia de oposição, mas não cabe ser irresponsável ou faltar com a verdade. Tudo certo em querer escrever o que pensam, em expor suas opiniões, mas isso não lhes dá o direito cultivar o "ódio", a "magoa", a "má vontade" como razão do seu trabalho. 

Uma ocasião em comício na Bahia o finado Senador Antônio Carlos Magalhães disse: "será que esse governo não tem uma notícia boa? Nenhumazinha, nada? Será que ninguém faz nada de bom?" Não senador, aqui em Coelho Neto se depender dos 4 anões não há nada de positivo a ser noticiado. Pois a má vontade deles impera.


Então para não dar viagem perdida: Por que não dão também as notícias boas?

Comments system