quarta-feira, 3 de maio de 2017

E o piso cadê?

Que os servidores municipais de Afonso Cunha tem sofrido isso não é segredo pra ninguém, além de receberem seus salários com atraso, os servidores Municipais tem de enfrentar uma forte desvalorização por parte do prefeito Arquimedes Bacelar (PTB). 

Ainda no dia 12 de janeiro o Ministro de Educação Mendonça Filho anunciou o reajuste do Piso Salarial dos Professores, um aumento de 7,64% no salário base dos professores, incremento de 1,35% acima da inflação acumulada de 2016. 

Prefeito Arquimedes Bacelar não cumpre determinação do MEC
e mantém professores recebendo abaixo do piso

"Esse reajuste no piso é algo importante porque significa, na pratica, a valorização do papel do professor, que é central na garantia de uma boa qualidade da educação", declarou na época Mendonça Filho. 

Só que que esse reajuste, que é nacional, logo vale para todos os municípios do Brasil, ainda não é uma realidade para os professores da rede municipal de ensino de Afonso Cunha. Lá o professor tem ganhado bem abaixo do piso, muito abaixo. 

Mas cabe lembrar que março, em evento promovido pela Secretaria Municipal de Educação daquela cidade, o prefeito Arquimedes Bacelar anunciou que o Município estaria pagando o piso para a categoria, fez o anúncio de público, na presença de todos os professores da cidade. Mas apenas prometeu, porque até agora, só nada. 

Último contracheque emitido revele maldade do prefeito Arquimedes Bacelar 

Segundo professora daquela cidade o sentimento de revolta é geral, toda a classe está insatisfeita, e os professores se sentem completamente desamparados, nem ao Sindicato podem recorrer, pois o presidente do Sindicato que deveria representar e lutar pelos Servidores, é o Secretário Municipal de Educação, um claro conflito de interesses. O salário que após o reajuste do piso deveria ser R$ 2.298,80 (dois mil duzentos noventa e oito reais, e oitenta centavos) está sendo de apenas R$ 1.355,35 (mil trezentos e cinquenta e cinco reais, e trinta e cinco centavos). "Estamos completamente desmotivados, todos os dias ouvimos mentiras, e mais mentiras da boca do prefeito. Nunca recebemos um real sequer desse reajuste tão falado, não sabemos quando vamos receber, e nem se vão pagar o retroativo, pois já deveríamos está recebendo desde janeiro. As autoridades se calam, e os  vereadores não fazem nada por nós. Estamos sozinhos". 

Exemplo que vem do Centro-Oeste 


Em Barra dos Garças, Município do Mato Grosso, em 2015 o então prefeito Roberto Ângelo, foi afastado do cargo por determinação da Justiça após descumprir sentença judicial que estabeleceu prazo para a implantação do piso salarial nacional para os profissionais do magistério público da educação básica da cidade.

O juiz na época falou "O que apenas evidencia o descaso com o que o Gestor Municipal vem tratando aos servidores da educação deste Município, sem falar na má-fé em relação ao exequente e no desrespeito para com o Poder Judiciário”.

Em Afonso Cunha a palavra é justamente essa, descaso. O prefeito Arquimedes Bacelar não demonstra qualquer respeito para com a cidade, com os servidores, ou com a população. Tanto que agora temos o escândalo do Frango podre, mas essa é outra postagem...

Comments system