segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Maranhão com 4 nomes na “Lista Suja” do trabalho escravo



Na noite de ontem (22), o programa Fantástico trouxe à tona a chamada “Lista Suja” do Ministério do Trabalho e Emprego. A lista reúne os nomes de empregadores que mantém em suas empresas trabalhadores em condições análogas a de escravidão. A lista traz 131 nomes, dentre esses nomes estão três empresas localizadas no Maranhão. 

A primeira é a Fazenda Grapia, em São Pedro da Água Branca, sendo o proprietário Antônio Calixto dos Santos; a Fazenda Sara, em Miranda do Norte, sendo de propriedade de Alexandre Vieira Lins; Fazenda Lago Azul, em Brejo de Areia, sendo propriedade de José Rodrigues do Santos; e por último aparece a empresa Zurc – Saneamento e Construção Ltda., responsável por obra no campus da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) em Imperatriz. 

A lista completa você pode conferir AQUI

A divulgação semestral da relação deveria ter ocorrido no final de setembro. Mas em meio a polêmicas mudanças realizadas pelo Ministério do Trabalho nas regras para o resgate de trabalhadores escravizados através de uma portaria, o governo federal não publicou oficialmente a lista. 

A ''lista suja'' é uma base de dados mantida pelo Ministério do Trabalho, desde novembro de 2003, que publica os casos em que o poder público caracterizou esse tipo de exploração através de resgates de pessoas e nos quais os empregadores tiveram direito à defesa administrativa em primeira e segunda instâncias. Os empregadores envolvidos permanecem por dois anos na relação, a menos que façam um acordo com o governo. Nesse caso, seguem para uma lista de observação e podem sair após um ano, desde que cumpridos os compromissos assumidos.

Comments system