quarta-feira, 4 de outubro de 2017

TJ-MA escolheu hoje novo presidente

José Joaquim para presidir o Poder Judiciário Maranhense no biênio 2018/2019

O Pleno do Tribunal de Justiça do Maranhão elegeu nesta terça-feira (04) o desembargador José Joaquim para presidir o Poder Judiciário no biênio 2018/2019. Ele venceu por 16 votos contra 10 de Nelma Sarney. Ainda houve um voto em branco.

A votação foi secreta e os desembargadores confirmaram o favoritismo de Joaquim.

Postura deselegante

Chamou a atenção da corte do Tribunal de Justiça do Maranhão a reação da desembargadora Nelma Sarney após a divulgação do resultado que elegeu José Joaquim. Nelma seria a indicada para assumir a vice-presidência. Entretanto, a magistrada recusou o convite, mostrando uma postura não condizente com a de uma mulher em sua posição. 
Postura deselegante da desembargadora Nelma Sarney chamou atenção

Quando o presidente eleito foi discursar, Nelma simplesmente se recusou a ouvir o colega e deixou o plenário.

José Joaquim de forma constrangida, assim como os demais membros, disse que entendeu os motivos da cunhada de José Sarney. “Infelizmente a iminente desembargadora Nelma me pediu que iria se retirar, até porque gostaria de falar com seu marido Dr. Ronald [Sarney]. Eu entendo e quero dizer a ela, o que disse aqui em off, e quero fazer publicamente, jamais usarei o cargo de presidente para perseguir ela ou o grupo dela. Até porque entendo presidente, que isto aqui é uma passagem, o que eu vou precisar é do apoio dos senhores”.

O recado

Durante sua fala Joaquim adotou o tom da sinceridade. Disse que carrega algumas cicatrizes. Afinal, aliados da desembargadora Nelma Sarney financiaram uma campanha sórdida com ataques diários em blogs e no jornal para atingir a honra do magistrado.

“Entreguei a Deus, mas não posso renunciar e mentir, ser falacioso hoje em dizer quer não irei levar todos os meus detratores, da minha família e desta egrégia corte, que nenhum momento se curvou, a Justiça. Se eu já tinha honra, presidente e minha família aqui presente, de ser magistrado, hoje tenho muito mais”.

Após mandar seu recado, o desembargador destacou que assume a presidência sem qualquer sentimento de revanchismo e muito menos de vingança. O mais importante é atender aos anseios de quem busca a Justiça.

“Agradecer penhoradamente aos eminentes pares, não aos 16 votos presidente, mas aos 26. Eu irei presidir tenha a certeza presidente, aos meus pares e quem me ouve, sem nenhum vindita, sem nenhuma vingança […] A porta do meu gabinete será aberta a sociedade para que tragam seus reclames e aqui possamos resolver no dia a dia”, finalizou.

Nos corredores, a deselegante postura de Nelma foi um dos assuntos mais comentados.

Com informações blog Marrapá 

Comments system