terça-feira, 2 de janeiro de 2018

Dia de dor e luto em Caxias


O Maranhão está de Luto, chorando a dor e perda da população caxiense que lamenta a partida de Humberto Coutinho. Ex-vereador, ex-prefeito, deputado e até chegou a ser governador, na política maranhense Humberto era estrela. Tanto para oposição quanto para o governo, Coutinho era sinônimo de consenso e hombridade.

Depois da família Coutinho, quem, com certeza, mais sente a perda são aqueles que dr. Humberto Coutinho tanto ajudou, aqueles para quem ele dedicou um espaço especial nas políticas públicas da cidade quando foi prefeito. 

“Eu não sei nem explicar o eu estou sentindo. Eu o conheço há muitos anos, desde quando ele era jovem. Ele foi um bom homem tanto para Caxias como para outras cidades. Foi ele que trouxe uma boa educação, um bom hospital. Quando ele foi prefeito o pagamento dos funcionários era em dia. Não teve um prefeito em Caxias como ele. Eu devo a minha aposentadoria a ele. Também me deu um lugar pra colocar minha banca de café”, afirmou Maria Luíza Silva, de 84 anos.

“Perdemos a nossa grande referência, grande amigo, companheiro, sério e que se preocupava com o bem do povo de Caxias. Que Deus o coloque em um bom lugar e dê o conforto à sua família natural e família de coração, que somos nós, os filhos de Caxias”, disse a professora Maria da Conceição Araújo.

No meio político a dor também é grande, políticos de todo o Maranhão lamentaram a partida de Humberto Coutinho, e o espaço deixado por ele. A deputada estadual Andreia Murad, líder da oposição, descreveu Humberto como sendo um conciliador, que deixa um importante legado de vida política, de homem dedicado à família, à vida pública e aos maranhenses. Para Othelino Neto, que substitui Humberto Coutinho na presidência da Assembleia, é grande o vácuo deixado na política do Maranhão. 

Governador Flavio Dino e deputado Othelino Neto cumprimentam a viúva
drª. Cleide Coutinho 

Emocionado, o governador Flávio Dino declarou que jamais pensou em assinar um decreto de luto para Humberto Coutinho, seu grande amigo. Durante a missa de corpo presente, o governador também falou que, pela primeira vez em 11 anos, lamentavelmente não foi recebido por Humberto Coutinho na cidade de Caxias.

“Ele deixa uma lição grande como homem honesto, trabalhador e generoso. Humberto Coutinho sempre deu prova de lealdade profunda. Foi uma perda política muito grande. Cleide Coutinho pode contar comigo. Caxias pode contar comigo. A maior homenagem que a gente pode dar a Humberto Coutinho é uma salva de palmas”, declarou.

Bastante abalada, a Dra. Cleide Coutinho, esposa e companheira de Humberto Coutinho há 50 anos, agradeceu a gentileza e as homenagens de todos que estiveram presentes. “Ainda em São Luís, Humberto Coutinho me disse que seu presente era morrer em Caxias. Foi aí que Flávio Dino deu o avião para trazer. Agradeço a sua gentileza, que fez com que isso acontecesse perto dos amigos e familiares”, completou.

Com informações da Agência Assembleia

Comments system