domingo, 31 de dezembro de 2017

2017 de mudanças e desafios

Prefeito Américo de Sousa (esq.) junto com o vice-prefeito Antônio Pires (dir.)
prestando juramento durante a posse no inicio do ano.

O ano de 2017 está vivendo suas últimas horas, momento esse em que as pessoas em geral se colocam a fazer uma breve reflexão sobre tudo o que foi feito durante o ano, e elaboram planos para ano que está chegando, 2018. 

2017 foi um ano de mudanças em Coelho Neto, a sob um novo Governo a cidade deu uma guinada brusca saindo da inercia total rumo a reorganização administrativa. Coelho Neto que até dezembro de 2016 viva um verdadeiro caos administrativo e político. As ruas estavam tomadas pelo lixo, servidores municipais a meses sem receber salários, obras abandonadas por toda cidade, desvios de dinheiro público, superfaturamento, funcionários fantasmas, “supersalários”. Só para se ter ideia de como o “negócio era bagunçado”, em 2016 o executivo municipal de Coelho Neto gastou só com diárias mais de R$ 380 mil reais, segundo dados do Tribunal de Contas do Estado do Maranhão (TCE/MA).

Mas veio o ano de 2017, e junto com ele entrou na administração municipal um governo comprometido com a reorganização de Coelho Neto. O então novo prefeito, Américo de Sousa (PT), em seu discurso de posse em um Teatro Municipal lotado, falou sobre a necessidade de cortar vícios, aplicar remédios amargos, e reestruturar o município. Pediu a população paciência, e aos aliados compreensão. 

Em um primeiro momento o prefeito decretou uma “Mora” sobre as dívidas contratuais deixadas em aberto pela gestão passada, e que o ex-prefeito Soliney Silva (PMDB), foi incapaz de quitar. Todos os contratos foram analisados com rigor, as empresas tiveram de demonstrar que efetivamente prestaram serviço e entregaram benefícios, e só então os contratos foram seriam/foram renegociados para serem pagos de acordo com a Saúde Financeira da cidade. Só com a CEMAR o município tinha uma dívida de quase R$ 1,5 milhões de reais; com a CAEMA a dívida chegava a quase R$ 300 mil reais; com a empresa que repara as bombas do SAAE a dívida era mais de R$ 30 mil reais, essa se viu obrigada a reter 5 bombas por falta de pagamento.

Mas o prefeito Américo, com cautela e muito cuidado, foi reorganizando tudo, e aos poucos colocando ordem na casa. Contudo, moralizar algo que estava há muito tempo bagunçado levantou vozes raivosas, e muitos que usufruíam das benesses da gestão anterior aprenderam a criticar, e como criticam. São verdadeiros Leões rugindo e urgindo contra o atual governo, que tem se mantido alheio ao ódio propagado e tem buscado trabalhar, e como trabalha. 

Familiares e usuários do CAPS durante evento

Uma das primeiras medidas da gestão Américo de Sousa foi a reabertura das duas Unidades dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), ambas foram completamente esvaziadas pela gestão anterior, tiveram todos os profissionais demitidos, um paciente chegou a ingerir chumbinho no interior de uma das unidades por falta de acompanhamento, e o Ministério Publicou Estadual chegou a denunciar o governo anterior como tendo causado um caos na saúde municipal. Logo em seguida, o Governo Municipal deu início a reforma de duas escolas da Rede Municipal de Ensino, e promoveu uma reequipagem das demais escolas. 

Prefeito Américo de Sousa em dialogo com o professores da
Rede Municipal de Ensino

Contudo, talvez a maior marca desse primeiro ano de governo Américo, tenha sido a igualdade salarial entre professores concursados e professores contratados. Esse ano a gestão municipal deu fim à pratica de pagar salários de R$ 200 reais por mês para professores contratados, passando a pagar o piso salarial determinado pelo Governo Federal. Cabe destacar também, a regularidade no pagamento da folha salarial, que neste ano, pela primeira vez após oito anos, foi paga de forma antecipada em todos os meses, destacar ainda, que o Governo Municipal pagou ainda em julho o terço de férias dos servidores municipais, e quitou em dezembro o décimo terceiro salário. 

Parceria com Governo Estadual, prefeito Américo de Sousa observa maquinas
do Programa Mais Asfalto recuperando ruas da cidade

Mas houve mais, muito mais. Com Américo no comando, a prefeitura foi até os povoados entregar sementes aos produtores rurais; a cidade voltou a ser parceira do governo estadual, recebemos ambulância, “patrol”, patrulha agrícola, recapeamento de ruas, dentre outros incentivos do Governo do Estado; a prefeitura de Coelho Neto voltou a trabalhar em benefício do homem do campo e centenas de quilômetros de estradas vicinais já foram recuperados, pontes também estão recebendo melhorias; maquinário agrícola e acompanhamento técnico, bem como cursos e aperfeiçoamento tem sido ofertado ao pequeno produtor de Coelho Neto; o Hospital Maternidade de Coelho Neto recebeu melhorias; a Prefeitura através da Secretaria Municipal de Educação e Cultura tem adquirido alimentos produzidos pelo homem do campo coelhonetense para fazer parte da merenda escolar; e tivemos belas festas, esse ano a cidade voltou a ter carnaval, tivemos um belo Arraial Junino e o Festejo de Santana foi linde de se ver.

Américo conquistou junto ao Governo do Estado a implantação em Coelho Neto
da primeira Unidade Tática das Cidades (UTC).

Enfim, 2017 foi definitivamente um ano de mudanças, para alguns a mudança foi bem ruim, e nem preciso dizer o motivo. Mas para a imensa maioria, a mudança foi para melhor, e que venha 2018 com mais mudanças e seus desafios. 

Prefeito Américo tem promovido o fortalecimento da Agricultura Familiar em Coelho Neto

Para todos, meus mais sinceros votos de Feliz Ano Novo, que nesse ano que se inicia Deus possa derramar inúmeras bênçãos sobre todos nós.