segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

CEMAR foi privatizada porque Roseana é péssima administradora, disse Sarney



Não se sabe se foi de caso pensado ou apenas um escorregão durante a entrevista, mas o jornal O Globo publicou matéria neste final de semana em que José Sarney classificou a administração da filha, Roseana – que foi governadora durante 14 anos no Maranhão –, como péssima.

No último final de semana o jornal fez uma análise da atuação política do oligarca em Brasília, citando que, além de indicar e vetar nomeação de autoridades, Sarney e seu grupo são acusados de boicotar o projeto de privatização da Eletrobras, feudo de senadores do Norte, como o líder do governo Romero Jucá (PMDB-RR) e o senador Eduardo Braga (PMDB-AM).

De acordo com o jornal, esse grupo controla as distribuidoras da Eletronorte no Norte e Nordeste e agora Sarney e Lobão articulam a indicação de André Pepitone para a Aneel.

Em sua resposta para a reportagem, Sarney foi enfático: “não sou contra a privatização do setor elétrico. Acho que não pode ser feita atingindo empresas que fazem parte da soberania e interesse nacionais. Mas, em geral, o estado é um péssimo administrador”.

A declaração de Sarney remonta os maranhenses ao ano de 2000, quando a Companhia Energética do Maranhão (Cemar) foi privatizada durante o governo Roseana. Atolada em dívidas e de uma ineficiência sem igual, a empresa acabou sendo privatizada, já que o estado havia sido um péssimo administrador durante os governos oligárquicos.

A declaração de Sarney ao jornal O Globo ratifica que seu grupo, que passou 50 anos no poder no Maranhão, sempre foi péssimo em administrar. Sobretudo sua filha Roseana, que teve que privatizar empresas por não dar conta de gerir.

Isso até Sarney admite.

Do Marrapá