terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Eleições: disputa para o Senado segue indefinida


O ano chegou e com ele a incerteza sobre quem será o segundo candidato da coligação que apoiará o projeto de reeleição do governador Flávio Dino. Embora o Chefe do Executivo tenha remetido essa questão para os partidos da aliança decidir, as pressões sobre o Palácio dos Leões continuam.

Com a candidatura do deputado Weverton Rocha ao Senado já definida, restam três pretendentes a ocupar a segunda vaga. Nos bastidores das eleições comentam que é quase certa a indicação do ex-governador José Reinaldo Tavares (DEM), mas é conveniente observa que o governador ainda não bateu o martelo.

Os dois outros postulantes a disputar a eleição para o Senado com o carimbo do Palácio dos Leões correm por fora e continuam se movimentando nos bastidores e junto as suas bases eleitorais. A deputada Eliziane Gama e o deputado Waldir Maranhão não desistem de lutar pela segunda vaga e mantém a esperança.

Os três pré-candidatos se acham no direito de disputar a eleição com o apoio do aliado Flávio Dino, mas como existem apenas duas vagas na chapa majoritária do governador, os líderes da coligação deverão sentar no momento certo e encontrar uma solução para impasse sem provocar descontentamentos que possam colocar em risco a unidade do grupo.

Pelo que se tem observado nos bastidores das eleições de outubro próximo, os dirigentes de partidos somente deverão se debruçar sobre essa delicada questão na reta final das convenções partidárias, que poderão ser realizadas até 15 de agosto. Até muita água ainda vai rolar por debaixo da ponte.

Clã Sarney – Na aliança que esta sendo costurada para apoiar o candidato da oligarquia Sarney, tudo parece caminhar para as candidaturas do ministro Sarney Filho e Edison Lobão, o senador campeão de citações de delatores da Operação Lava Jato como beneficiário de propina decorrente de desvios de recursos da Petrobras, porém, comentam nas rodas políticas que Roseana Sarney estaria querendo passar a perna no irmão e lançar sua candidatura ao Senado.

Sem menor condição política de enfrentar o governador, Roseana estaria repensando sua pré-candidatura ao governo e cogitando a vaga ao Senado que está prometida para Sarney Filho. Lobão, mesmo fedendo a corrupção e prestes a vestir pijama, já avisou que não abre mão do direitos de disputar a reeleição.

E ainda existe o prefeito do município de Santa Rita, Hilton Gonçalo, querendo entrar na disputa.



Do Jorge Vieira