quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Zé Reinaldo, a saída do que não foi



O deputado federal José Reinaldo Tavares (sem partido) ficou sem clima para se filiar ao Democratas conforme vinha anunciando há algumas semanas. A demora em marcar a data de assinatura da ficha, somada às cobranças públicas ao partido, azedou de vez essa relação.

Pré-candidato ao Senado Federal, o parlamentar queixa-se que a legenda não cumpre alguns acordos, esse seria o motivo por ainda não confirmar sua entrada no DEM. Por outro lado, o deputado federal e presidente estadual da sigla, Juscelino Filho, faz questão de mostrar total impaciência com Tavares quando é abordado sobre o tema.

Ontem (30) foi ventilada a informação que enquanto Zé continuar sem partido, o DEM não defenderá seu nome para compor a chapa majoritária do governador Flávio Dino (PCdoB) por motivos óbvios.

Em novembro do ano passado, o ex-governador deixou o PSB por alegar incompatibilidade com a cúpula nacional. Zé Reinaldo é favor das reformas propostas pelo presidente Michel Temer (PMDB), os socialistas são contra. E agora, mais uma vez, ele mostra uma impressionante dificuldade de diálogo que o afasta do DEM. Ainda mais quando coloca seu interesse pessoal acima da legenda.

Como ainda sonha com a vaga de senador, o deputado estipula um prazo até abril para definir seu futuro político. No entanto, sem uma sigla com capacidade de barganha, é praticamente carta fora do baralho. A não ser que decida disputar por outra coligação que não seja dos comunistas, algo cada vez mais provável.

Do Marrapá

Comments system