sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Cleide Coutinho para vice-governadoria


Cleide Coutinho é um excelente nome para vice-governadora de Flávio Dino. Ela tem o perfil ideal para compor a chapa majoritária ao lado do governador na eleição de outubro próximo. Tem densidade eleitoral – exerceu dois relevantes mandatos de deputada, e somente se afastou para abrir espaço para o marido Humberto Coutinho, quando este decidiu retornar ao parlamento estadual, onde faleceu, no primeiro dia deste ano, no exercício da Presidência da Assembléia Legislativa -; acompanhou o marido na costura da ampla aliança que elegeu FD; é bem relacionada com todas as correntes políticas do Estado; e herda, naturalmente, o cacife eleitoral de HC, que morreu no auge da carreira política – se vivo estivesse, e com saúde, seria eleito senador em 2018 sem contratempos, se quisesse.

Cleide não foi somente foi esposa e companheira por mais de 50 anos do ‘Grandão’. Não. Cleide Coutinho tem virtudes próprias. Claro, HC marcou como um dos grandes líderes na História do Maranhão e esse fato contribui no fortalecimento da imagem da viúva dele – é natural até. Mas Cleide sempre teve luz própria, foi fundamental na construção da vitóriosa carreira política do marido, tendo participado diretamente de todas as decisões.

Ora, é sabido que Humberto Coutinho jamais dava um passo à frente sem antes ouvir aliados e subordinados. E, claro, ao final, consultava e dividia com ela as decisões que tomava. Cleide, assim, era uma conselheira de luxo, espécie de bússula para o marido. Foi fundamental, inclusive, na construção do grande líder político que o Maranhão conheceu. E tal qual ele, honra e cumpre a palavra empenhada dentro e fora da seara político-partidária.

Talvez este artigo renda uma ‘cleidada’ – expressão cunhada pelo jornalista Jotônio Viana e adotada pelo governador Flávio Dino, para adjetivar os ‘carões’ que Cleide Coutinho, de maneira sincera e espontânea, costuma passar em quem sai da linha -, mas a assertiva expressa aqui não é exclusividade, e ultrapassa as fronteiras de Caxias, dois jornalistas de São Luís e um prefeito da Baixada, pelo menos, já levantaram a possibilidade de Cleide ser a vice de Flávio.

Tal possibilidade tem força de virar realidade pois, além dos argumentos acima citados, há muitos outros mais. E muita gente pegaria em lanças por essa chapa.

Do Ricardo Marques




Comments system