segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Fundamental para sobrevivência do clã Sarney, candidatura de Roseana vai definhando


Desde as primeiras pesquisas de intenção de votos, ainda em 2017, a eleição deste ano para o governo do Estado se desenha em um duelo entre o governador Flávio Dino (PCdoB) e a ex-governadora Roseana Sarney (MDB). Por mais que apareçam outros nomes na disputa, nenhum outro nome aparece ainda com percentual de terceira competitiva. Roseana é a única que chega a patamar de concorrência na casa dos 30%. Se Roseana não for candidata, a oposição não tem nome competitivo.

Mas Roseana não consegue formatar um palanque para ter força política para a disputa eleitoral. A falta de estrutura política é reflexo da falta de confiança das lideranças. Não só a desconfiança de viabilidade eleitoral como da própria empolgação da ex-governadora, que parece temer ter que enfrentar as urnas fora da máquina e sem o aporte que esperava ter do governo federal.

Roseana não está com jeito de candidata e isto depõe contra ela junto à classe política. Se não reverter isto em pouco mais de um mês, a candidatura pode mesmo subir o telhado.

Do Clodoaldo Correa