domingo, 18 de março de 2018

Lançada pedra fundamental do Porto São Luís



Em uma cerimônia com a presença do governador Flávio Dino (PCdoB), entre outras autoridades políticas, e do segmento empresarial, foi na última sexta-feira (16) a Pedra Fundamental do Porto São Luís, marcando o início oficial das obras.

O porto deverá gerar quatro mil empregos, e terá uma capacidade de movimentação inicial de dez milhões de toneladas ao ano, considerando também que o escoamento da produção via Porto São Luís beneficiará outros sete estados brasileiros, por meio da integração com a Ferrovia Carajás.

Em vermelho as linhas férreas que alimentarão Porto São Luís

Destacando também, que o investimento resultará em inúmeros outros benefícios, pois além de geração de emprego e capacitação da mão de obra local, estão previstas várias obras de infraestrutura na região limítrofe com o projeto, como saneamento, pavimentação, legalização fundiária, construção de escolas, implantação de posto de saúde entre outros.

O governador Flávio Dino destacou o incremento da produção e a geração de empregos. “Temos hoje três portos no Maranhão, dois privados e um público, movimentando 200 milhões de toneladas ao ano. O Porto São Luís não divide, não compete, ele soma. Haverá abertura de milhares de oportunidades de trabalho e negócios”, disse. “Todas as leis brasileiras estão sendo rigorosamente seguidas para segurança jurídica e eficiência. Temos certeza que será um grande sucesso”, completou.

"Porto São Luís não divide, não compete, ele soma", falou o governador.

O embaixador Li Jinzhang disse que este é um “momento histórico entre China e Brasil”, citando a importância de um porto para o desenvolvimento econômico do Estado. “É um condutor para o crescimento regional e atrairá mais empresas para se instalarem aqui”. O presidente da Fiema, Edilson Baldez, seguiu o mesmo raciocínio do desenvolvimento econômico. “É um projeto muito importante para o Maranhão e para o Brasil”, frisou.

Sobre o porto


O Porto São Luís é um terminal de uso privado, cuja primeira fase da obra está orçada em R$ 800 milhões e deve ser concluída dentro de quatro anos – com a geração estimada de quatro mil empregos diretos.

A capacidade de movimentação do novo terminal é de cerca de dez milhões de toneladas por ano – sendo sete milhões de soja e milho, 1,5 milhão de fertilizantes, 1,5 milhão de carga geral e 1, 8 milhão metros cúbicos de derivados de petróleo.

A obra compreende uma área de 200 hectares onde serão construídos seis berços, sendo quatro na primeira fase de construção e dois na segunda, mais ponte de acesso, acesso rodoferroviário e pera ferroviária.

Comments system