segunda-feira, 5 de março de 2018

Lobão e Sarney Filho mostram em entrevistas o quanto o Clã Sarney está perdido


Os principais nomes do Clã Sarney tentam fugir dos holofotes e não dar demonstração do quanto estão perdidos sobre como reverter o péssimo quadro para a eleição deste ano. Roseana Sarney fragilizada no processo vai tentar uma caravana como último recurso, João Alberto não sabe pras onde vai, e os prováveis candidatos a senador do grupo, Edison Lobão e Sarney Filho demonstraram que não existe projeto traçado em entrevistas concedidas a O Imparcial neste final de semana.

Lobão admitiu que não sabem ainda o que fazer com João Alberto. O ex-ministro de Minas e Energia já crava ele mesmo e Sarney Filho como candidatos a senador e Roseana a governadora. Mas em grande contradição, disse que Carcará será o que ele quiser. Mas e se ele quiser ser candidato à reeleição?

Quando questionado se faria uma campanha em dobradinha com Sarney Filho como fez com João Alberto em 2010, enrolou e disse apenas que serão vitoriosos. Isto porque ele sabe que se o Clã eleger senador, elege apenas um. Por isso, não será uma campanha de voto casado, mas cada um por si. Em outro momento da entrevista, disse que estava acima de qualquer desavença política, dando a entender que não terá problema receber votos de eleitores de Flávio Dino e de outro candidato a senador. Afinal, “farinha pouco, meu pirão primeiro”.

Lobão também demonstrou falta de convicção na própria reeleição ao afirmar que está pronto para qualquer resultado, inclusive a derrota.

Na mesma insegurança. Sarney Filho também concedeu entrevista a O Imparcial, não dando certeza de sua candidatura. Quando perguntado se sua candidatura é consenso, ele rodou, rodou para indicar que era merecedor (afinal, foi preterido duas vezes de candidatura majoritária) e disse que acredita estar consolidado.

Sarney Filho também deixou claro, que seria uma eleição “cada um por si” e nem para a irmã candidata a governadora irá demonstrar grande esforço. “Lógico que eu gostaria que se votasse na chapa completa, mas eu não vou fazer disso uma exigência definitiva, até porque seria incoerência da minha parte, eu circulo bem em todos os grupos políticos do nosso estado e do país”.

Renovação

O ápice da falta de noção da realidade foi se colocar como “renovação”. Sarney Filho disse que sua candidatura seria renovadora porque tem ideias contemporâneas. “Tenho certeza que o Maranhão precisa de um rumo novo”. Aí não precisa nem comentar.

Os líderes do Clã mostram cansaço, falta de sintonia com a realidade e uma dispersão de projeto. São estes os motivos do desgaste que os colocou na atual situação.

Do Clodoaldo Corrêa