segunda-feira, 2 de abril de 2018



Ainda perdido em relação à sua pré-candidatura ao Senado, o deputado federal Zé Reinaldo tem dado claras provas de que é capaz de tudo para tocar seu projeto pessoal de poder. E agora perdeu qualquer bom-senso que ainda poderia ter, aliando-se com o senador Roberto Rocha sendo abrigado no PSDB.  

Rocha que até o momento é pré-candidato ao Governo Estadual sem densidade alguma, abriga Zé Reinaldo em buscar uma composição que lhe atraia apoios e lideranças que façam sua pré-candidatura decolar. Contudo, Zé Reinaldo chega ao PSDB com um pré-candidato aos Leões debaixo do braço, já que é manifestadamente entusiasta da candidatura de Eduardo Braide (PMN).

Zé Reinaldo planeja agora marcar presença em dois palanques, o de Roberto Rocha e o de Eduardo Braide. Contudo, pode não ser assim tão fácil, e antes de qualquer passo, terá primeiro que demonstrar fidelidade à candidatura tucana ao governo do estado, o que parece pouco provável.

--


O ex-governador José Reinaldo Tavares, pelo visto, perdeu o bom senso ao anunciar sua entrada no PSDB, já informando que sua estratégia será se fazer presente nos dois palanques majoritário dos candidatos Roberto Rocha e Eduardo Braide (PMN).

Antes mesmo de ter a ficha de filiação abonada por Roberto, em uma solenidade prevista para o gabinete do senador, em Brasília, o ex-governador já começa provocar mal estar no ninho dos tucanos, justamente por querer impor suas vontades.

Zé Reinaldo, que já levou rasteira de Rocha na eleição de 2010, até pela idade avançada, deveria ter consciência de que está entrando no PSDB para ser liderado e não para liderar e impor suas vontades, como por exemplo, apoiar dois candidatos a governador.

Pelo o que se conhece do senador, eleito pelo governador Flávio Dino, que recebeu como recompensa uma apunhalada nas costas, se quiser ser candidato, Zé Reinaldo terá primeiro que demonstrar fidelidade à candidatura a governador do partido, o que parece pouco provável.

O ex-governador quer por quer que Braide seja candidato pelo PSDB, PMN ou qualquer outra sigla que lhe acolha, na esperança de levar a eleição para um improvável segundo turno. É justamente ai que reside o problema porque os tucanos exigem fidelidade e Zé Reinaldo já chega afirmando que estará em dois palanques, o que contraria os planos do seu novo chefe político.

Se concretizar a filiação, José Reinaldo chega na condição de soldado e terá que se submeter as orientações de seu líder, caso contrário só vai levar mais conflito para o PSDB, uma legenda que já foi grande no estado, mas que hoje encontra-se em fase de decomposição.