segunda-feira, 9 de abril de 2018

Sobrevida: após fechamento da janela eleitoral PSDB volta a existir



O PSDB, que após ser retirado das mãos do vice-governador Carlos Brandão e entregue ao senador Roberto Rocha, o popular “Asa de Avião”, deixou de ter representação no plenário da Assembleia Legislativa, voltou a existir após o fechamento da janela partidária que permitiu aos parlamentares mudarem de legenda sem o risco da perda do mandato, inclusive na Câmara Federal.

Os tucanos, que ficaram sem representação com a saída do deputado Sérgio Frota (o último que restava) para o PR, volta ter três representantes no parlamento estadual (Graça Paz, Alexandre Almeida e Wellington do Curso), todos considerados de baixo ou baixíssimo clero e cujos discursos normalmente não despertam interesse do plenário.

Embora o diretório estadual ao PSDB tenha alardeado que no mês recebeu cerca de 500 filiações, na realidade este número é bastante questionável, até porque o que se viu durante a campanha de filiação foram os ingressos de eternos renegados da política maranhense, tais como João Bentivi e João Câncio.

Para quem estava moribundo, não deixa de ser um alento, ainda que os três parlamentares que viraram tucano em nada ou quase nada poderem ajudar fazer sair do chão a pré-candidatura ao governo de Roberto Rocha, que consegue perder até para a ex-prefeita de Lago da Pedra, Maura Jorge, segundo as pesquisas publicadas até agora.

Na Câmara Federal, onde o Maranhão não tinha representante tucano, com a fim da janela e sem ter alternativa, Zé Reinaldo e Waldir Maranhão, dois renegados da coligação da Flávio Dino, acabaram fazendo opção pelo ninho por questões de conveniência eleitoral, o que tem elevado o ambiente de desconfiança no PSDB. Zé Reinaldo e Roberto Rocha continuam sem se cumprimentar.

Do Jorge Vieira 

Comments system