terça-feira, 8 de maio de 2018

Afonso Cunha: Presidente do Sindicato Rural pede desculpas a filiados por “aproveitos políticos”

Prefeito Arquimedes Bacelar (esq) e presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Antônio Filho

O presidente do Sindicatos dos Trabalhadores Rurais de Afonso Cunha, senhor Antônio Filho, tem enviado aos filiados da entidade e amigos áudio no WhatsApp em que lamenta a série de constrangimentos a que o prefeito da cidade, Arquimedes Bacelar (PTB), submeteu ao Sindicato durante a realização da festa alusiva ao dia dos Trabalhadores. 

Em seu relato, Antônio Filho lamentou que algumas pessoas foram até a festa para “ganhar nome, pessoas que vão para de uma forma ou de outra buscar se mostrar através da entidade”. Em clara alusão a atitude de Arquimedes, que ao invés de fazer um discurso parabenizando os trabalhadores e trabalhadoras do campo, preferiu seguir uma linha de ataque ao grupo de oposição da cidade e as pessoas que diariamente denunciam os desmandos de sua gestão desastrosa. 

“Esqueceram da entidade Sindicato, eu acho o suor que derramamos, que estamos derramando através da luta, do movimento, buscando além do aprendizado através de forças conjuntas, porque quando se trata de sociedade organizada, o povo é muito mais. Eu fiquei triste, reclamei, ainda não estou satisfeito, quero pedir desculpas aos amigos, não foi do jeito que eu previa porque fugiu um pouco do padrão, um pouco não, muito do padrão, muito mesmo do padrão da festa do nosso movimento. Eu sinceramente estou muito satisfeito, porque muitos vieram, outros ficaram mais por longe, porque quando começou a virar ‘comício’ o pessoal se afastou, alguns vieram e foram embora na mesma hora, porque já não se tratava mais de uma festa democrática, uma festa do nosso movimento”. 

O presidente do sindicato encerra sua fala se dizendo indignado com a postura do prefeito, que em nada contribui com o movimento ou com as lutas sindicais, Arquimedes apenas se utilizou da estrutura do sindicato para fazer uma política rasteiras e podre, tal como sua gestão a frente da prefeitura de Afonso Cunha. “Tô indignado, ainda estou, mas é assim mesmo, vida que segue, bola para frente, estou de cabeça erguida”.