domingo, 27 de maio de 2018

Em Coelho Neto a hipocrisia está em alta

Quando era criança, durante aquelas lições de moral que todos costumávamos ouvir dos adultos, uma frase que era recorrente, pelo menos em minha casa, era que “as coisas nunca são o que parecem”, sempre ouvia isso como um alerta sobre “falsos amigos”. Essa frase nunca foi tão verdadeira quanto hoje em Coelho Neto, onde paladinos da ética surgem em cada esquina, pregando a moral e o compromisso com a cidade, se colocando em um papel de cidadão consciente que busca melhores condições de vida para todos.

Pura baboseira, nunca foram isso em oito anos, e muito menos em 16.

O discurso de tais pessoas é lindo, na teoria pelo menos, porque a moral delas é no mínimo questionável, e a ética é quase nula. Já venho alertando sobre tais pessoas há muito tempo, e seus comportamentos deixam em clara evidência o quanto suas intenções são dúbias. 

Não se enganem, eles estão em uma busca incansável, e forçada, para retornar a zona de conforto em que viveram por pelos menos 8 anos, alguns pelo dobro desse tempo. Para isso, volto a dizer, vendem a imagem de paladinos da justiça, moral e ética, três coisas que nunca tiveram, e duvido muito, que saibam pelo menos o como é.

Não passam de bonecos no colo de um habilidoso ventriloco, que cuidadosamente articula cada movimento que fazem, e palavras que dizem. São apenas a manobra de alguém sedento pelo Poder, e dinheiro que ele pensa que o Poder tem a oferecer. 


Sempre que os virem abrindo a boca lembrem da Fábula da Serpente que carrega um Joia na testa. Uma joia linda e preciosa, que pode lhe tornar muito rico, na testa de uma serpente com presas carregadas de veneno. É tentado pensar na joia e no seu valor, mas a serpente está pronta para lhe ferrar, literalmente. Assim são tais pessoas, e seus discursos de moralidade e Ética, não passam dê falastrões buscando uma oportunidade para se darem bem.