terça-feira, 12 de junho de 2018

DESEMPENHO PÍFIO DO “CONSÓRCIO” FAZ ROSEANA SEGURAR AGENDA



Faltando pouco mais de um mês para as convenções, a pré-candidata da oligarquia Sarney ao governo continua sem agenda e sem previsão de retornar ao interior do Maranhão. Desde que oficializou a pretensão de concorrer ao Governo na eleição de outubro próximo, Roseana submergiu, viajou para acompanhar o tratamento de sua mãe nos Estados Unidos e esperava-se que, ao retornar, reiniciasse a “Caravana da Guerreira”, mas temendo ser hostilizada, voltou a se recolher e nunca mais deu qualquer declaração sobre voltar ao interior do Estado.

Seus aliados mais próximos não conseguem informar sobre quando a ex-governadora pretende retomar a campanha, já que após percorrer alguns municípios e não ter a recepção esperada (reuniões esvaziadas), suspendeu a tal “Caravana da Guerreira”.

Roseana anunciou aposentadoria da vida pública em 2014 quando entregou o Governo para o então presidente da Assembleia Legislativa, deputado Arnaldo Melo, e seu mandou para uma longa temporada de férias em Miami (EUA). Voltou em silencio e passou a ser pressionada pelo velho oligarca para ser candidata a governadora novamente e tentar salvar a família da cova elegendo pelo menos o irmão Sarney Filho senador. Para aceitar a difícil missão, exigiu que o pai conseguisse montar um consórcio de candidatos, mas nem isso foi capaz de mudar o quadro totalmente favorável à reeleição do governador Flávio Dino.

O temor da ex-governadora é ser atropelada nas urnas, a exemplo de 2006 e 2014, até porque os candidatos do consórcio, Ricardo Murad (PRP), Maura Jorge (PSL), Roberto Rocha (PSDB) e Eduardo Braide (PMN) estão tendo desempenho pífio nas pesquisas eleitorais e dificilmente terão fôlego para evitar que a eleição acabe logo no primeiro turno. A última pesquisa do Instituto Exata, por exemplo, revelou que os cinco adversários do governador Flávio Dino possuem índices de intenção de votos irrisórios; enquanto o chefe do Executivo estadual tem 57% de intenção de voto o consórcio criado por José Sarney só possuem 42%.

Pelo visto, o tiro do pai de Roseana, desta vez, vai sair pela culatra.

Do Jorge Vieira

Comments system