segunda-feira, 30 de julho de 2018

Procura-se um casal de delegados

O caldo parece que está entornando para o lado do vice-prefeito de Coelho Neto, Antônio Pires (PCdoB), e da vereadora Liza Pires (PCdoB). Eles que hoje tem um mandato eletivo graças as bençãos dos Leões, e a aliança com o prefeito de Coelho Neto, Américo de Sousa (PT), abriram guerra contra a administração municipal e para isso estão até mesmo peitando as orientações do partido a que são filiados. 


Antônio Pires rompeu com o prefeito Américo de Sousa em uma decisão desastrada, não consultou seu grupo político, e muito menos buscou conversar com os camaradas do PCdoB. Agiu impulsivamente, de forma solitária, motivado apenas por seus intere$$e$ e no que é melhor para ele. Desde então trabalha diuturnamente em uma rede de intrigas contra o prefeito, e contra o governo estadual.

Não é de hoje que o casal  vem metendo os pés pelas mãos dentro do PCdoB, algumas semanas atrás a vereadora Liza Pires sumiu da votação na câmara municipal que atribuiu um título de cidadão Coelhonetense ao governador Flávio Dino (PCdoB), ao mesmo tempo que não compareceram na visita que o governador fez a Coelho Neto. 

Mais recentemente, no último sábado (28/07), Antônio Pires e esposa deixaram de votar na convenção que homologou o nome de Flávio Dino para disputar a reeleição. Pires e sua esposa eram delegados do partido na convenção, mas nem sequer deram as caras no evento partidário. Quem contou com eles lá, ficou a ver navios.

Deixando bem claro, se dependesse do voto deles, Flávio Dino não será governador novamente!  

Desta forma o passado de grande liderança de Antônio Pires vai ficando apenas no passado, e o presente vai sendo uma confusão sem fim, buscando alimentar o enorme ego e seus intere$$e$.

Voltamos a qualquer momento com mais informações