domingo, 28 de outubro de 2018

Eleito presidente, Bolsonaro perdeu em todos os estados do Nordeste

Jair Bolsonaro (PSL) foi eleito neste domingo (28/10) o 38º presidente do Brasil, devendo tomar posse em Brasília no 1º de janeiro de 2019, quando receberá a faixa presidencial do atual presidente Michel Temer (MDB). 

Apesar da vitória considerada por muitos como significava, o presidente eleito saiu das urnas sem o apoio de grande parte dos nordestinos, tendo perdido em todos os nove estados da região. Muitos atribuem essa derrota no Nordeste ao discurso desagregador de Jair Bolsonaro, que não apresentou nas eleições propostas de distribuição de renda, geração de emprego, e enfrentamento da miséria e seca, que tanto assolam a região. 


No Maranhão, administrado pelo governador reeleito Flávio Dino (PCdoB), Jair Bolsonaro teve uma das maiores derrotas no nordeste, sendo rejeitado por 72,86% dos eleitorado maranhense, que preferiram votar no petista Fernando Haddad. 

Em Coelho Neto, cidade do prefeito Américo de Sousa (PT), o presidente eleito deve outra derrota pesada, com mais de 19 mil Coelhonetenses rejeitando seu nome, 83,94% dos Coelhonetenses votaram em Haddad. 


O nordeste tende hoje a ser uma pedra no sapato de Jair Bolsonaro, caso o presidente eleito insista em não voltar os olhos para as necessidades dos nordestinos, sendo aqui um ponto de resistência ao seu discurso conversador. 

Observemos