quarta-feira, 14 de novembro de 2018

Quase 500 médicos cubanos deixarão o Maranhão

A decisão do governo cubano de abandonar o programa Mais Médicos atinge em cheio a saúde do Maranhão.


No estado são 483 médicos cubanos atuando em 197 municípios; outros 264 são intercambistas – brasileiros que fizeram o Revalida.

Os cubanos atribuem a desistência do Mais Médicos à agressividade diplomática de Jair Bolsonaro; eles correspondem a 2/3 do programa.

Prefeitos e secretários de Saúde de todos os estados já começam a pressionar o presidente eleito pela manutenção da parceria com Cuba.

Os profissionais que atuam no Brasil deverão retornar para o país de origem até o último dia do ano.