segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

FLÁVIO DINO CHEGA AO FINAL DO PRIMEIRO MANDATO COM A CASA EM ORDEM E PREPARADA PARA DESAFIOS


O governador reeleito do Maranhão chega aos últimos dias do seu primeiro mandato com motivos para comemorar. Apesar da grave crise financeira em que o presidente Michel Temer (MDB) atolou o país, Flávio Dino (PCdoB) fez o dever de casa, manteve rigoroso controle sobre as finanças e, ao contrário da grande maioria dos estados, chega ao final do ano podendo cumprir suas obrigações com os servidores, que já vão receber, nesta quarta-feira (12), a segunda parcela do décimo terceiro salário.

É claro que vão falar que trata-se apenas de uma obrigação do governante maranhense, mas se levada em consideração a situação caótica das demais unidades da Federação, onde Estados com Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e Minas Gerais, considerados ricos, estão em condições falimentar e sem condições de pagar o décimo terceiro, deve se louvar o esforço do governador em tapar os ralos por onde escorriam o dinheiro da corrupção.

Com transparência e responsabilidade, Dino, através de constantes mensagens nas redes sociais chamou atenção da população para as dificuldades que o país e os estados deverão enfrentar em 2019 e assinou um decreto ajustando a máquina e cortando gastos nas secretarias e empresas do governo estadual, como, por exemplo, substituir veículos alugados por táxi, Uber e similares como forma de economizar recursos públicos.

Desta forma o governador prepara o Maranhão para tempos nebulosos que possam surgir a partir da posse do novo presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), um político de direita que se elegeu com discurso anticorrupção, mas que antes mesmo de assumir já se vê envolto em escândalo sobre movimentação financeira atípica de um ex-assessor do filho e um depósito suspeito de R$ 24 mil na conta de Michele Bolsonaro, esposa do presidente direitista.