quinta-feira, 27 de dezembro de 2018

Fabio Gondim é descartado da equipe de Bolsonaro


Ex-secretário de Planejamento do Maranhão na gestão de Roseana Sarney (MDB), e atualmente chefe de gabinete do senador Roberto Rocha (PSDB), Fabio Gondim vinha sendo bem cotado para assumir a secretário-executiva do Ministério de Minas e Energia (MME) no governo Bolsonaro (PSL) que inicia na próxima semana. 

Contudo, a indicação de Gondim teve uma reviravolta e quem passou a ser considerada favorita para o cargo é Marisete Dadald, que dizem já estar praticamente fechada para o cargo. Chefe da assessoria econômica do MME, ela já ocupou a função nas gestões de vários ministros – Edison Lobão, Eduardo Braga, Fernando Coelho Filho e Moreira Franco. Bruno Eustáquio Carvalho, engenheiro civil pela UFMG, deve ser o secretário-executivo-adjunto. Ele vinha trabalhando como um dos diretores do PPI.

As especulações em torno de Fabio Gondim iniciaram quando ele assumiu um cargo na equipe de transição, em seguida o Almirante Bento Albuquerque, futuro ministro da pasta, o sondou para ser o “número 2” do MME. No entanto, com a grande repercussão negativa em torno do seu nome, principalmente pelas fortes ligações com a decadente oligarquia maranhense, o ex-secretário de Planejamento do Maranhão da gestão desastrosa de Roseana Sarney teve o nome abortado. 

Com informações do Valor Econômico