sábado, 8 de dezembro de 2018

Justiça Federal volta a decretar Bloqueio dos Bens de Soliney Silva


A Justiça Federal, através da Vara Cível e Criminal de Caxias, decretou a Indisponibilidade dos Bens do ex-prefeito de Coelho Neto Soliney Silva (MDB). A decisão, em Caráter Liminar, aconteceu dentro de uma Ação Civil de Improbidade Administrativa movida pelo Município de Coelho Neto, que tenta via judicial recuperar os valores que supostamente foram desviados da Construção de Escolas de Educação Infantil Tipo B (Creches).


Em sua decisão, o Juiz Federal Gustavo André Oliveira dos Santos, considerou o abandono das obras que estão espalhadas por Coelho Neto, e que poderiam está atendendo centenas de famílias. O Juiz Federal anotou que "diante de indícios da prática de atos de improbidade que causaram prejuízo ao erário [...], acerca de irregularidades na aplicação dos recursos públicos, observo constar junto a inicial documentos indicando o estado de abandono da obra".

Com isso, e afim de evitar a dilapidação do patrimônio de forma a prejudicar a recuperação do valores, o Juiz Federal decretou o Bloqueio dos Bens (moveis, imoveis e ativos financeiros/contas bancarias), em nome de Soliney de Sousa e Silva, alcançando o valor de R$ R$724.388,10 (setecentos e vinte quatro mil, trezentos e oitenta e oito reais e dez centavos). 

Creches abandonadas, o retrato da má administração do ex-prefeito Soliney Silva

AINDA TEM MAIS

Esse não é o único processo que Soliney responde por desvios de recursos que deveriam ter sido aplicados em Coelho Neto, existindo pelo menos outras 03 ações judiciais com o mesmo teor, diferindo apenas quanto aos objetos, pois na cidade existem 04 obras de creches abandonadas.

Cabe destacar também, que além das Creches há também indícios de desvios envolvendo a Construção de Unidades Básicas de Saúde (UBS), que também já contam com ações sendo movidas para recuperar seus respectivos valores. 

Com isso, não restam duvidas quanto ao caráter nocivo da gestão do ex-prefeito Soliney, que administrou irresponsavelmente os recursos públicos da cidade, dispondo do patrimônio de deveria atender ao coelhonetenses unicamente em seu benefício e para o beneficio de seus familiares. 

Lembrando que em 2017 a Justiça Federal já havia decretado um outro bloqueio dos Bens de Soliney, por isso irregular de recursos do FUNDEB.


Confira AQUI a nova decisão na integra